CORPO

06/04/2014
Redescobrindo os alimentos

Se você tivesse que escolher cinco alimentos para levar para uma temporada em uma ilha deserta, quais seriam eles? E quais os cinco que você jamais levaria, aqueles que você mais detesta? Se você consegue saber de quais alimentos gosta mais ou menos, porque então normalmente os categorizamos em apenas duas categorias: gosto e não gosto? Como você mesmo pode perceber, gostar pode ser dividido em mil categorias entre adorar e detestar. Por isso, hoje vamos repensar os alimentos que você normalmente categoriza como “não gosto”. Qual foi a última vez que você provou um desses alimentos? Como ele tinha sido preparado?

Nossos hábitos alimentares, em sua maior parte, foram formados há muito tempo, baseados em experiências que nem nos lembramos exatamente como foram. É natural que seja assim, para que não tenhamos que perder tempo pensando e analisando longamente um alimento antes de decidir comê-lo ou não, a cada dia. Entretanto, quando percebemos que nosso hábito alimentar não está de acordo com o que consideramos saudável, talvez valha a pena gastar um pouco de tempo pensando sobre os alimentos que escolhemos comer e por quê.

Pense em um alimento que você categorizou na sua cabeça como “não gosto”. Agora pense em cinco formas diferentes de prepará-lo. Se não souber, procure no Google. Se o alimento que você não gosta for uma cenoura, por exemplo, ela pode ser batida com um suco de laranja, misturada a um purê de batata com cenoura, ralada e misturada ao arroz, virar bolo de com cobertura de chocolate, cortada crua em palitinhos para petiscar com um molho à sua escolha, preparada sob forma de suflê, entre outros. Assim, agora que você já é adulto, pegue o tal alimento, prepare-o de cinco formas diferentes e classifique-as em relação ao sabor. De que jeito você gosta mais e de que jeito você gosta menos. A lição aqui é que não apenas os alimentos podem ser mais ou menos saborosos em diferentes graus, mas também as diferentes formas de prepará-lo.

Além disso, os gostos mudam com o tempo. Você conhece alguma criança que gosta de vinho? Ou de cerveja? Ou de queijo gorgonzola? O paladar amadurece com a idade e aos poucos certos sabores podem mudar de categoria na nossa cabeça. Assim, agora que você já é adulto, redescubra os alimentos, um a um, assim como as diferentes formas de prepará-lo, e finalmente, organize-os em diversas categorias de preferências. Dessa forma, podemos rever nossos hábitos e criar cardápios mais atualizados.

Dra. Aline Sardinha – Psicóloga Clínica e Coach (CRP:134.146).








COMPARTILHE:

COMENTÁRIOS
Nome: Mensagem:
E-mail:
Informe esse número ao lado:
trocar imagem