MENTE

28/11/2013
Um bombom agora ou dois amanhã?

Na década de 60, um grupo de psicólogos fez essa pergunta para 500 crianças de quatro anos e desse estudo surgiram as maiores descobertas sobre disciplina e força de vontade que até hoje embasam as técnicas motivacionais. Na verdade, a pergunta foi “você prefere que eu te dê um marshmallow agora ou dois daqui a 20 minutos?”. Como marshmallows não fazem muito sucesso por aqui, pense nos bombons: o que você prefere?

O grupo que fez a pesquisa vem avaliando periodicamente essas crianças até os dias atuais e verificaram que aquelas que preferiam esperar para ter uma recompensa maior e, de fato conseguiam aguardar os 20 minutos, obtiveram, nos anos seguintes, melhores notas na escola, maior sucesso profissional, autoestima mais elevada, menos problemas com abuso de drogas, mais saúde, lidavam melhor com estresse e pesavam significativamente menos!

Como já vimos em outro texto, nosso cérebro tem um sistema de recompensa que gosta muito de descansar, comer alimentos calóricos, namorar e se divertir, que briga o tempo todo com a parte do cérebro responsável pela autodisciplina, ou seja, pela capacidade de adiar ou renunciar ao prazer em função de um objetivo futuro. O estudo dos marshmallows nos mostra que algumas pessoas já são melhores em autodisciplina e paciência do que outras desde a infância. Esses felizardos enfrentam menos dificuldades para resistir a um pedaço de torta a fim de conseguir emagrecer, para abrir mão de uma festa porque tem que terminar um trabalho, tem menos relações extraconjugais e conseguem poupar mais dinheiro.

A boa notícia é que hoje sabemos ser essa uma habilidade treinável! Podemos melhorar nossa capacidade de resistir às tentações e adiar recompensas através de técnicas cognitivas. Perguntando para as crianças que conseguiam esperar, eles identificaram estratégias que as ajudavam a segurar a ansiedade e a frustração enquanto aguardavam sua merecida recompensa em dobro: distração (“pensei em uma música enquanto esperava”), mudar o foco do olhar (“observar outros objetos da sala”), ver a situação de um jeito diferente (“pensar que o marshmallow era um pedaço de algodão”) e também se concentrar na recompensa futura (“pensava nos dois marshmallows”).

Você pode experimentar exercitar sua paciência com essas estratégias da próxima vez que o seu computador travar, ou que ficar preso num engarrafamento. Um exercício para melhorar a autodisciplina poderia ser deixar um bombom visível sobre a sua mesa de trabalho e decidir que só vai comê-lo ao final do dia. Que tal? Se você resistir, pode comer até dois!

Dra. Aline Sardinha - Psicóloga clínica e coach (CRP/05:34.146)







COMPARTILHE:

COMENTÁRIOS
Nome: Mensagem:
E-mail:
Informe esse número ao lado:
trocar imagem