MENTE

28/02/2014
Fontes internas de estresse

Trabalho, trânsito, festas de final de ano, contas para pagar... Que tudo isso é fonte de estresse não é novidade para ninguém. O nosso assunto de hoje são as fontes internas de estresse, a parte desta história que apenas nós podemos modificar... Vamos refletir sobre elas?

Pensemos no seguinte exemplo: você esta atrasado para o trabalho e encontra pela frente um engarrafamento inesperado. Qual o primeiro pensamento que passa pela sua cabeça ao avistar a fila de carros parados? Se você pensa algo do tipo "que droga, vou me atrasar!", seu corpo imediatamente começa a se preparar para enfrentar essa ameaça. Você consegue dar um nome para o sentimento que você experimenta nesse momento? Medo, raiva, angústia, irritação... Estresse! Agora que seu corpo já esta se preparando para “matar o primeiro leão do dia”, fica a pergunta: o que você pode fazer a respeito disso? Ligar para avisar que vai chegar atrasado? Ok. Algo mais? Não. Nada que você faça eliminar o trânsito à frente. Então esse é o momento em que o estresse pode sair de cena.

Ficar parado no trânsito pensando sobre o quanto isso é insuportável terá o mesmo resultado pratico de usar esse tempo para pensar na ultima gracinha dos seus filhos ou na pelada com os amigos... Você continuará engarrafado. A diferença é exatamente o nível de estresse!

As fontes internas de estresse são nossos pensamentos. Os fatores externos podem ser mais ou menos estressantes, dependendo de como lidamos internamente com eles. Parece simples, mas não é fácil. Exige treino! Vamos então ao exercício da semana: ao se deparar com um problema, pergunte a si mesmo se há algo a fazer para resolvê-lo neste exato momento. Faça. Depois disso, relaxe!

Dra. Aline Sardinha - Psicóloga clínica e Coach (CRP/05:34.146)






COMPARTILHE:

COMENTÁRIOS
Nome: Mensagem:
E-mail:
Informe esse número ao lado:
trocar imagem