MENTE

27/05/2014
Malhando os neurõnios

Há muito tempo se sabe que os benefícios de manter uma rotina regular de exercícios físicos são inúmeros, tanto para saúde física quanto para saúde mental. Se isso não tinha sido suficiente para convencer você a iniciar já o seu programa de exercícios, aqui vai mais uma descoberta importante dos últimos tempos.

Um estudo recentemente publicado na prestigiada revista científica Journal of Alzheimer’s Disease assegura que o exercício tem um papel preventivo contra a tão temida Doença de Alzheimer. A Doença de Alzheimer (DA) é uma doença neurodegenerativa progressiva que afeta a população idosa. Com as pessoas vivendo cada vez mais, prevê-se que a incidência de Alzheimer será aumentada no futuro tornando esta uma doença um para indivíduos, famílias e sistemas de saúde em todo o mundo.

Muitos mecanismos já foram apontados como causas da doença de Alzheimer e o mais provável é que esta ocorra pela associação de múltiplos fatores. Entretanto, este estudo mostra que a atividade física regular aumenta a vascularização, o metabolismo energético, resistência das células e tecidos ao estresse, melhorando a memória e capacidade de regeneração cerebral.

Assim, praticar exercícios físicos protege não apenas o coração, mas também é benéfico na prevenção da doença de Alzheimer e outras doenças neurodegenerativas associadas ao envelhecimento cerebral. Pior, o sedentarismo parece ser um fator de risco para o desenvolvimento destas demências. Se você gosta do seu cérebro e pretende continuar usando-o por muito tempo, levante-se já daí!

Dra. Aline Sardinha - Psicóloga clínica e Coach (CRP/05:34.146).






COMPARTILHE:

COMENTÁRIOS
Nome: Mensagem:
E-mail:
Informe esse número ao lado:
trocar imagem