SEXUALIDADE

12/06/2014
Cuide bem do seu amor

Se a Amélia é que era mulher de verdade, o que são as, mulheres modernas, trabalhadoras e emancipadas? Esta é uma das grandes questões com que eu me deparo no consultório diariamente. Como ser meiga sem parecer boba? Como ser carinhosa sem ser grudenta? Como mimar sem ser submissa? Qual a fórmula de uma relacionamento gostoso no século XXI?

Em primeiro lugar, a honestidade. Dizer que ama não é sinal de fraqueza e sim de segurança. Fale o que você sente. Se ele te chatear, pontue. Entretanto, falar não significa repetir 30 vezes a mesma coisa, gritar ou mesmo fazer um enorme discurso explicando cada micro detalhe dos seus sentimentos. Da mesma forma, ser honesta não significa dizer absolutamente tudo o que vem à sua cabeça sem se importar com o impacto das suas palavras nos sentimentos do outro. Não podemos confundir independência com grosseria.

Ser livre para expressar seus sentimentos e vontades não quer dizer que você precise apontar cada falha do parceiro, reclamar de cada vez que ele não atende às suas expectativas e discutir infinitamente toda vez que vocês discordarem, o relacionamento vira uma guerra. Mais companheirismo, empatia e entendimento e menos competição fazem um bem enorme ao relacionamento.

Se quiser ser prolixa, que seja para elogiar. O que seria de você sem ele para configurar o roteador da internet, ou para abrir um pote de conserva? Se ele fez algo de bom, valorize. Mais do que isso, aproveite a tendência natural das mulheres de expressar sentimentos em palavras e capriche! Diga o quanto você o acha bonito, o quanto ele dirige bem, ou qualquer outra coisa que você de fato acha. Só valem elogios sinceros! Elogio faz bem, aproxima as pessoas e alivia a tensão. Que tal fazer o exercício de equilibrar: um elogio para cada crítica ou reclamação?

Finalmente, neste dia especial, que tal um mimo? Fazer uma comidinha que ele gosta, escrever um cartão fofo, passar a camisa dele, fazer massagem no pé ou qualquer outro carinho não vai fazer ninguém virar Amélia do dia pra noite. Nem que seja só para quebrar a rotina... Se você pode fazer algo que ele gosta, por que não? A ideia aqui é lembrar que um amor se nutre de pequenos gestos. Quem sabe vocês não iniciam um ciclo do bem em que, quanto mais um faz coisas fofas pelo outro, mais o outro retribui? Do mesmo jeito que às vezes acabamos entrando em círculos viciosos ruins, podemos simplesmente iniciar um ciclo virtuoso de carinhos mútuos. Feliz dia dos namorados!

Dra. Aline Sardinha – Psicóloga clínica e Coach (CRP: 34.146)






COMPARTILHE:

COMENTÁRIOS
Nome: Mensagem:
E-mail:
Informe esse número ao lado:
trocar imagem