TRABALHO

28/06/2014
Metas

O que poderia ser diferente em sua vida? Quais os seus objetivos de curto, médio e longo prazo? É possível que a maior parte das pessoas que esteja lendo este texto tenha a mente invadida por pensamentos e ideias ao se fazer as perguntas acima. Em cada aspecto da nossa vida algo pode ser sempre modificado ou melhorado. A motivação humana costuma ter a falta como ponto de partida.
Entretanto, quando pensamos em realizar mudanças concretas, costuma ser muito mais fácil determinar o nosso ponto de partida (o que gostaríamos de mudar) do que o que de fato queremos alcançar. Em minha prática como coach, percebo que muitas pessoas não conseguem avançar com seus objetivos exatamente pela dificuldade de criar metas úteis para si mesmo.
Imagine que você vai programar o seu GPS para chegar a um determinado local. Que tipo de informações você precisa inserir para levar esta tarefa adiante? Adianta informar ao GPS que o lugar que você quer ir fica mais ou menos perto do ponto de referência tal? Ou que ele é diferente do seu ponto de partida? Para direcionar o seu caminho entre um local e outro, o GPS precisa de informações precisas e objetivas como o endereço, ou as coordenadas, por exemplo. Da mesma forma, o primeiro passo para conseguir gerar mudanças em nossas vidas reside na construção adequada das metas. Metas úteis precisam ser: (a) específicas; (b) mensuráveis, (c) afirmativas, (d) realistas, (e) suficientemente desafiadoras e (f) definidas temporalmente.
Assim como no exemplo do GPS, se eu quero criar um plano de mudança, eu preciso saber claramente o que eu quero: quando, onde e como. Vamos pensar em alguém que quer perder peso. Quantos quilos essa pessoa precisa perder? Como saber quando alcançou o peso ideal?
Além disso, é muito importante delinear sua meta em termos afirmativos. Ao invés de “parar de comer besteiras”, por exemplo, a meta poderia ser “levar comigo um lanche saudável para evitar ter que comer besteiras na rua”. Da mesma forma, é pouco provável que obter sucesso com metas irrealistas. Metas muito além das suas possibilidades atuais geram desmotivação, frustração e adiamentos. Metas pouco desafiadoras produzem resultados pobres, sendo, portanto, igualmente insuficientes. A ideia é trabalhar com desafios possíveis. Ou seja, um pouco fora da zona de conforto, mas ainda dentro do que é realista naquele momento. Aos poucos, as metas podem ir sendo modificadas, se tornando mais complexas e desafiadoras.
Por último, metas pressupõem prazos. Eu quero perder peso em quanto tempo? E quero manter o peso alcançado por quanto tempo? Quando eu vou iniciar as ações necessárias para alcançar a minha meta? Por quanto tempo eu estou disposto a sustentar tal esforço? Essas perguntas são tão obvias que, muitas vezes, acabam sendo deixadas de lado. Exatamente por isso, frequentemente temos indivíduos perdidos em seu processo de mudança, sem saber como construir um plano de ação. Sem dizer para o meu GPS mental qual a direção a seguir, ele não tem como planejar a melhor rota. Por isso, ao pensar no que precisa ser modificado em sua vida, gaste uns minutinhos respondendo às perguntas acima. Vai valer a pena!

Dra. Aline Sardinha – Psicóloga Clínica e Coach (CRP: 34.146)







COMPARTILHE:

COMENTÁRIOS
Perfeito. Simples, claro e preciso. Um caminho a ser seguido. Pelo menos tentado seguir. Afinal só através do exercício diário teremos a possibilidade de alcançá-lo. Beijos
Por: Lenilce Nogueira Aguiar - Em: 14/09/2015 - 20:24:29
Nome: Mensagem:
E-mail:
Informe esse número ao lado:
trocar imagem