VIDA

06/08/2014
A lógica do dinheiro

Umas das questões mais comumente ligadas a infelicidade, conflitos conjugais, insatisfação com o trabalho etc é a falta de dinheiro. Apesar de fazer parte da vida de todos os seres humanos há séculos, entender e gerenciar dinheiro consiste em um desafio para muitas pessoas até hoje, De fato, o conceito de dinheiro é um grande enigma para o cérebro humano.

No mundo com dinheiro, as pessoas precisam exercer alguma atividade, que é recompensada com uma quantia em dinheiro que, por sua vez, servirá para adquirir comida e objetos necessários à sobrevivência e bem estar. Por mais familiar que essa ideia lhe pareça, a necessidade de existir uma entidade intermediária que aufere valor tanto ao seus comportamentos (seu trabalho) quanto aos objetos do ambiente é esquisita para qualquer outro mamífero que não o homem.

A diferença de valor entre os objetos e o trabalho exercido por cada um faz com que tenhamos que fazer uma “conta”, levando em consideração o quanto de dinheiro precisamos guardar para comprar um determinado objeto e quantas horas precisamos trabalhar para isso. Você já viu alguém, ao ver uma linda bolsa na vitrine ou o anúncio do carro do ano, pensar em quantas horas de trabalho aquele objeto custa? Você imagina que nossos primos homens das cavernas conseguiriam raciocinar nesses termos?

De mesma forma, na lógica do dinheiro, frequentemente precisamos adiar o momento em que poderemos usufruir da recompensa do nosso trabalho, simplesmente porque não temos dinheiro suficiente para comprá-la. Precisaremos trabalhar ainda um pouco mais de tempo antes de poder tê-la. O problema aqui é que o nosso cérebro precisa fazer um esforço enorme para conseguir inibir o impulso de ter o que queremos no presente e adiar o momento em que teremos a recompensa. É possível, mas completamente antinatural para nós. Algo parecido com a ideia de deixar de comer um bolo de chocolate porque queremos emagrecer.
Isso sem falar na possibilidade de o dinheiro se valorizar ou desvalorizar e de a passagem do tempo fazer o dinheiro se multiplicar sem que você tenha que fazer nenhum trabalho, situações que são a base de conceitos como investimentos, inflação, valorização e juros. Você imagina que qualquer outro mamífero conseguiria pensar que se deixar seus bens guardados durante um tempo, ao final desse período este terá se multiplicado? Muitos humanos também não conseguem entender isso. Nessa perspectiva, fica mais fácil entender porque a maior parte das pessoas acaba perdendo o controle das suas finanças, e não conseguindo planejar seus investimentos, não é mesmo?

Assim, podemos entender porque muita gente acaba optando por comprar um objeto dividindo o pagamento em muitas vezes, mesmo que isso custe juros altíssimos. O que leva alguém a pagar mais caro pelo mesmo objeto? A necessidade de ter o que queremos logo, ou seja, de não ter que adiar. Da mesma forma, os humanos que são melhores em adiar a recompensa acabam sendo ótimos poupadores e se beneficiam dos juros, dos descontos para pagamento à vista e dos investimentos financeiros.

Porém, entender a dificuldade que o conceito de dinheiro significa para o nosso cérebro só é útil se pudermos pensar em estratégias para lidar com isso sem ir à falência, certo? Em breve teremos uma pílula repleta de dicas sobre como burlar esses bugs do nosso sistema e sobreviver no mundo das finanças. Aguarde!

Dra. Aline Sardinha – Psicóloga Clínica e Coach (CRP: 34.146)





COMPARTILHE:

COMENTÁRIOS
Nome: Mensagem:
E-mail:
Informe esse número ao lado:
trocar imagem