VIDA

29/10/2014
Persistência

Quantas resoluções de ano novo planejadas no ultimo você conseguiu implementar até agora? Pensando naquelas que estão pendentes... O que será que aconteceu? Se você continua achando que são boas ideias, se considera motivado e talvez já até tentou implantar por algum tempo, por que será que não vingaram?

Consideramos que a motivação tem três componentes: direção (o que eu quero fazer); esforço (o quanto eu tento) e persistência (o quanto eu continuo tentando). Se você sabe o que quer e já tentou, porque, em algum ponto, parou de tentar? As decisões humanas são influenciadas pelas emoções, expectativas, memórias e ideias, tudo ao mesmo tempo. É provável que, em algum momento, você tenha achado melhor, por algum motivo, deixar de tentar... Ou tentar outra coisa.

Talvez seja útil olharmos novamente para este momento a fim de descobrir qual foi a sua linha de raciocínio. É possível que exista alguma impressão de que faz sentido persistir até um determinado ponto e que isso lhe trará um resultado específico. Por exemplo, você pode achar que vale a pena passar um mês de dieta se isso lhe ajudar a perder pelo menos 3kg. Caso você perceba que esse efeito não esta sendo alcançado, é provável que desista. Agora eu lhe pergunto: de onde você tirou a ideia de que só vale a pena ficar de dieta se for perder 3kg por mês? Seu corpo assinou esse contrato com você? Em termos racionais, sua ideia pode até fazer sentido, mas é ainda mais razoável pensar que se você permanecer de dieta,é provável que perca esses quilos e talvez até alguns outros. Então, por que desistir da dieta passa a ser sua opção?

Antes de tudo, devo esclarecer que pensar dessa forma é normal. Quantas pessoas que você conhece cumprem suas promessas de ano novo? Por outro lado, perceber quando estamos raciocinando e tomando decisões baseadas nessas regras estabelecidas por nos mesmos nos permite renunciar a desistir dos nossos objetivos quando estas são frustradas. Os questionamentos a se fazer são: por que eu vou desistir só por que as coisas estão saindo diferente do que eu imaginei? Desde quando eu posso prever exatamente como as situações vão ocorrer? Por que é tão ruim que algo seja diferente do que eu gostaria?

A persistência consiste exatamente em continuar agindo a despeito da vontade natural de desistir. Como dizia Isaac Newton na sua lei da inércia, os corpos tendem a continuar em sua trajetória a não ser que uma força incida sobre ele para fazê-lo mudar de velocidade ou direção. Lembre-se dele da próxima vez que tiver que fazer uma força para persistir no seu objetivo.

Dra. Aline Sardinha: Psicóloga clínica e Coach (CRP/05:34.146)







COMPARTILHE:

COMENTÁRIOS
muito bom Aline. Adorei a forma como apresentou o assunto. Bj.
Por: Monique bertrand - Em: 29/10/2014 - 13:37:12
Nome: Mensagem:
E-mail:
Informe esse número ao lado:
trocar imagem